ZECA AFONSO - VENHAM MAIS CINCO

Cresci com os discos de música erudita do meu pai - os quais, em bom abono da verdade, nunca liguei nenhuma - as marchas militares do exercito vermelho, o António Variações, os ABBA e os Boney M da minha mãe. Todavia, vivi, e senti, os discos do Zeca Afonso, a música de intervenção e os 7 polegadas da "N´Gola". Lembro dos vincos da capa deste vinil como se ele estivesse no mesmo sitio onde sempre esteve, no escritório do meu pai em casa do meu avô. O cheiro a couro da poltrona, o escritório, o meu irmão mais novo aos berros a correr à minha volta, a minha mãe na cozinha, o meu pai e o SG Gigante, os livros velhos, as estatuas de Angola, o velho gira discos, o tapete vermelho, enorme, que preenchia a sala, o barulho, a voz da minha avó, o cheiro a oleo queimado da oficina do meu avô ... é o que me lembro quando ouço isto.


Sem comentários: