MÃO MORTA - ABANDONADA



ABANDONADA
[Adolfo Luxúria Canibal / Miguel Pedro]
A versão, apresentada nos prémios Blitz, em 1995, e cujo vídeo aqui trago, na minha opinião incomparavelmente mais fraca do que a versão original, faz parte do álbum “Mão Morta Revistada”, editada pela BMG.
Em 1998, com a reedição do primeiro álbum dos “Mão Morta”, pela Norte/Sul, é publicada a primeira versão da “Abandonada” constante da K7 editada pela “Malucos da Pátria” em 1987.
Procurem-na …

Abandonada à beira rio
Pela calada da noite
A cidade apodrece.
Remexendo no visco,
Como ratazanas dos esgotos
Ansiando alimento,
Percorrem-se as vielas.
Abandonada à beira rio
Pela calada da noite
A cidade apodrece.
Abandonada à beira rio
Pela calada da noite
A cidade apodrece.
O amor, sublimada filigrana,
Submergido pelo lodo
Torna-se disforme,
Destroço asfixiado em desperdícios...
E o sol fotografa-nos
No vómito de uma dor imensa,
Derradeira!
Abandonada à beira rio
Pela calada da noite
A cidade apodrece.
Abandonada à beira rio
Pela calada da noite
A cidade apodrece.

Sem comentários: