PASSOS MANUEL - NUNO LOPES

Party Time,
Começa a festa em casa da Filipa, com meia dúzia de amigos de Lisboa, vinho à descrição, um "Cous Cous" fantástico acompanhados com "Balkan Fever" e "Kumpanhia Algazarra" em alto som.
Aquela miúda sabe dar uma festa, e os amigos de Lisboa eram malta muito porreira !!!
Enquanto se fazia o jantar, e matava as saudades de uma amiga que que não via à algum tempo, estava tudo em ebulição. Falava-se de comida, vespas, tiravam-se fotografias, comia-se, dançava-se, (lia-se o jornal !!!).
Por volta das 23h chegam mais uns quantos a "Chez Filipa". Passado uma hora estávamos de abalada.
Eu e os criminosos do costume fomos para os "Maus Habitos" ter com mais gente -o tempo passa a correr, e quando demos por isso seriam perto da 01.00 da manha.
Entre os episódios de:
(i) segurança a afastar um miúdo que queria, a força toda, participar num baile de música dos anos 40 que estava a decorrer na pista, (ii) a minha imitação de Artur Semedo, com uma luva preta que encontrei num sitio qualquer, (iii) o rui a apostar comigo que o Nick Cave não tinha feito uma versão do "Mack the Knife" - vá lá desta vez pagou um copo; já devia ter idade para perceber que não se devia meter comigo- (iv) Uma sujeita de vinte e tal anos que insistia em partir os meus copos de vinho branco sempre que se cruzava comigo no "fumatório" ...
Ligou a Bettina para irmos para o Passos Manuel.
Deixei os casalinhos na paz do Senhor, paguei o meu copo de vinho branco e desci os quatro lanços de escadas que me separam da rua.
Atravessei para o Coliseu e la estava a "Bandalheira" do jantar aos pulos no piso de cima.
Tudo feliz e contente como mandam as regras do Sábado a Noite.
Nem podia ser de outra maneira.
Na cabine estava o actor do "Alice". Sim o gajo que faz de deficiente nos "Contemporâneos" e entrava no "C.R.E.D.O" com o "Tchram". Chama-se Nuno Lopes.
Deixou muita gente de boca aberta.
Não apenas pela selecção musical, divertida, "Up Beat" e que colocou todos a dançar, mas também pela escolha de alguns clássicos dos anos 90 como, "Mamma says Knock You Out" do L.L. Cool J. ou "Insane in the Brain" dos Cypress Hill.
A meio da noite, estava tudo novamente reunido, com bebidas a borla -eu não sei, mas eu juro que só paguei 3 garrafas de agua- ao pulos na subcave do Passos Manuel.
As 03.30 da manha o Rui ofereceu, ou eu peguei muito rapidamente nela, uma t-shirt vermelha de Buraka Som Sistema que aproveitei para vestir de imediato.
A primeira música que passa, quando estou com o uniforme, foi o "Saturate" dos Chemical Brothers.
Lembrei dos dois concertos que vi destes tipos em 1994 e 1995 em Benicassim. Agosto, calor insuportável, calções, tronco nu, completamente acelerado e aos pulos durante quase três horas iradas.
Mais uma razão para suar as estopinhas até cair.
Por volta das 04.00 da manha, estava tudo a dar de frosques. Era preciso por os casalinhos na cama.
Comecei a vestir, casacos, cachecol, e estávamos a beira da porta de saída quando eu e a ouvimos "Wegue Wegue Wegue" ...
Era um aviso, já prontos para sair, corremos escadas a baixo, tiramos os casacos, roupa quente e novamente de T-Shirts estávamos aos pulos outra vez.
Que festa!
"Saturate"- Chemical Brothers

3 comentários:

Freekowtski disse...

Quando há malta de Lisboa nas redondezas só pode haver de facto festejo a maneira. Anyway, eu por meu lado, vi o teu conterrâneo Rui Reininho no sábado à noite no Incógnito. Pensei em dizer lhe que o “Psicopatria” é um grande disco, mas como ele estava já bem aviado, resolvi não fazer isso.

Zogt Marco disse...

eheheheh

Tens piada ...

eheheh

Tu já nao te deves lembrar, mas chegamos andar a dançar em circulo, no industria com esse gajo as 07.00 ehehe

anyway

O independança é um grande disco ...

Os outros, peço imensa desculpa, não gosto

Freekowtski disse...

Lembro-me pouco dessa noite no Industria. Já foi há muito tempo, no entanto, juro pela saúde do Pinto da Costa que não andei a dançar em circulos lá. It just ain´t my cup of tea...