ELECTRIC MOON (02)


Nunca gostei das listas dos melhores álbuns do ano… Do álbum do ano… Da canção do ano… Do grupo do ano… Do vocalista do ano! Normalmente este género de exercício, por parte de melómanos, leva-me a sítios pouco confortáveis. Vislumbro cerimónias de entrega de prémios sem sentido, laudos abonatórios de bandas que desaparecem no pó dos segundos, e das playlist de consumo rápido, exercícios intelectuais de alguém que gravou uma peça de 450 minutos munido apenas de uma baqueta e de círculos no ar… Como escreveu em tempos o Michael Franti, na altura nos Disposable Heroes of Hiphoprisy, e embora para uma situação diversa “Uneducated, underdeveloped Undisciplined but mostly unaware; We join the flavor of the month club;…Then bashing Jews, was the flavor of the month; Gentrification, was the flavor of the month; Isolation, was the flavor of the month…”. Não é o caso dos Electric Moon. Tenho algum cuidado para não escrever na emoção do momento… Ter alguma frieza e distanciamento entre o primeiro byte do mp3, o primeiro risco do vinil, o primeiro segundo do Cd ou aquele acorde que nos leva para outro lugar onde vertigens de cor se cruzam com os feixes luminosos de entidades etéreas nos seus passeios cósmicos… É difícil as vezes! Mas tenho que deixar marinar o álbum e só depois escrevo. Normalmente ouço a opinião de alguns amigos, dos meus irmãos, da Isabel, de estranhos, depois volto a ouvir o disco, algumas vezes, para saber se aquela Ohrwurm continua a arrepiar e a fazer mossa no meu cérebro… Foi o caso deste Lunatics. È impossível… Se é certo que este ano tivemos discos dos Moon Duo, dos Sardonis, o cancelamento do concerto dos White Hills, a vinda dos Electric Wizard, os Unzen Pilot, os Causa Sui, a entrevista com os Two White Monster, o retorno da formação original dos Man or Astroman, o E.P. de estreia dos Ghost of Port Royal…Quando ouvi os primeiros acordes da Brain Eaters senti-me rendido a evidência de que este foi, sem sombra de dúvidas, o álbum que mais gostei de ouvir e a banda que mais gostei de conhecer em 2010. Gostaria de acompanhar os seus progressos durante os próximos tempos.

Sem comentários: