Woody Allen

Não perguntem porque acontece mas sempre achei que o nosso cérebro gosta de nos levar por túneis de memórias perdidas até chegarmos a livros e a músicas que, por alguma razão, fazem parte daquilo que somos.
Carregadinho daquele non-sense tão característico de Woody Allen, Para Acabar de Vez Com A Cultura, é um dos livros que, até hoje, cria alguma estupefacção. 
Não pelo seu autor, pelos temas ou pelo conteúdo mas por ter sido adquirido pelo meu pai em 1983. Nunca me soube explicar porque razão, no meio de uma biblioteca carregadinha de sociólogos e filósofos franceses, de livros ideologicamente comprometidos por uma esquerda antes e pós 25 de Abril, lá pontuava este pedaço de humor de um autor norte americano, judeu e neurótico.
Sorte a minha ! 
Passado uns tempos, na década de noventa do século passado, consegui comprar, num alfarrabista da Rua das Flores, mais dois livros de Allen.

Sem comentários: