Erzebet

Cruel, despótica e eterna. Penso que são as palavras que distinguem a maldita Elizabeth cujo terror das suas ações inspira, há décadas, o imaginário gótico mundial. A forma como Nunsky conseguiu traduzir esse sentimento justifica, plenamente, o Prémio BD nacional na Amadora em 2015.

Sem comentários: